06 de Novembro de 2019 - 14h:40

Tamanho do texto A - A+

Bovespa opera instável após resultados de leilão

Na véspera, a bolsa teve queda de 0,06%, a 108.719 pontos.

Por: G1

O principal índice da bolsa de valores brasileiras, a B3, opera instável nesta quarta-feira (6), após renovar recorde intradia, acima de 109 mil pontos, em meio aos resultados do megaleilão de áreas para exploração de petróleo e gás, sugerindo apetite reduzido de investidores internacionais.

 

Às 14h24, o Ibovespa caía 0,27%, a 108.428 pontos.

 

As ações da Petrobras, que chegaram a subir mais de 3%, tinham leve aumento, abaixo de 1%, por volta do mesmo horário. Logo após o encerramento do leilão, a negociação das ações da petroleira chegou a ser interrompida, mas foi retomada em seguida.

 

Na véspera, a bolsa teve queda de 0,06%, a 108.719 pontos.

 

No Rio de Janeiro, o consórcio Petrobras/CNODC/CNOOC arrematou o bloco de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos, com a oferta mínima de 23,24% de excedente em óleo à União. Com a vitória, o consórcio pagará R$ 68,2 bilhões em bônus de assinatura à União pelo bloco --o mais importante da licitação.

 

Não houve outra oferta pelo bloco, no qual a Petrobras será operadora com 90% de participação. Considerando sua participação no consórcio, a Petrobras pagará R$ 61,38 bilhões.

 

A Petrobras ainda arrematou sozinha o bloco Itapu, com a oferta de 18,15% de excedente em óleo à União. Com a vitória, a empresa pagará R$ 1,77 bilhão em bônus de assinatura à União pelo bloco.

 

Em comentários a clientes mais cedo, a equipe da XP Investimentos destacou que era importante monitorar o tamanho da participação da Petrobras no leilão e as possíveis consequências disso para sua trajetória de endividamento, caso a empresa gaste acima do ressarcimento da União de US$ 9 bilhões, segundo a Reuters.

VOLTAR IMPRIMIR